Conheça a seleção do 6° Festival ECRÃ

Atualizado: 16 de jun.


Em formato híbrido, sexta edição do Festival ECRÃ marca retorno às sessões presenciais com mais uma sala na programação, sessões em 3D, oficina de TouchDesigner e masterclass de James Benning. A entrada é gratuita.


Em formato híbrido, a sexta edição do Festival ECRÃ acontecerá em formato presencial entre os dias 1 e 10 de julho nas salas da Cinemateca do MAM e do Estação Botafogo e entre os dias 16 e 24 de julho, online. Além de sua tradicional casa, a Cinemateca do Museu de Artes Modernas do Rio de Janeiro, o ECRÃ traz a novidade do Estação Net Botafogo em sua programação. Em parceria com a Cavideo o festival promoverá exibições especiais como o programa Mestres do Cinema Brasileiro, com curadoria de Cavi Borges, que exibirá filmes raros de realizadores como Neville D’Almeida, Helena Ignez, Helena Solberg, André Parente, entre outros. Também no Estação Botafogo, o público verá o mais novo filme de Ken Jacobs, XCXHXEXRXRXIXEXSX, em 3D, além dos novos projetos das realizadoras Deborah Stratman, com Laika, e Jodie Mack, com Terra Devastada #3 - Luas, Filhos.


A sexta edição do ECRÃ é marcada pela presença de realizadores internacionais como Gastón Solnicki que vem para apresentar seu novo filme Um Pequeno Pacote de Amor, que abrirá o festival no dia 1º de julho na Cinemateca do MAM, também presente, online, Eric Souther promove oficina de TouchDesigner, programa que gera, dentre outros, sistemas audiovisuais interativos. E a grande atração desta edição, a vinda do realizador norte-americano James Benning pela primeira vez ao Brasil. Benning é um dos maiores nomes do cinema experimental contemporâneo com cerca de 80 filmes em seu currículo entre longas, médias, curtas e videoinstalações. Prestes a completar 80 anos de idade, Benning estará no Rio de Janeiro para uma masterclass, além de apresentar o seu mais novo filme, Os Estados Unidos da América, selecionado para o Festival de Berlim 2022.

Além disso, mais de 100 obras, muitas delas inéditas, serão exibidas, divididas nas já conhecidas categorias do festival:


Filmes de longa e média-metragem


A seleção da sexta edição do ECRÃ traz filmes inéditos no país, estreias mundiais e filmes premiados em grandes festivais. Na seleção dos longas e médias-metragens, junto aos filmes já citados estão Do Absoluto Nada e Imenso Azul da veterana cineasta experimental Holly Fisher e filmes exibidos no Festival de Berlim 2022 como o premiado Sol no Escuro de Mawena Yehouessi e Kinorama de Edgar Pêra. Do Festival de Rotterdam o ECRÃ apresenta O Sonho e o Rádio da dupla Ana Tapia Rousiouk e Renaud Després-Laroud. Destaques em outros festivais como Inverno de Vadim Kostrov, vindo do DocLisboa, Lago Gatún de Kevin Jérome Everson, selecionado para o CPH DOX e Animal Macula de Sylvain L’Esperance, vencedor do prêmio da crítica do festival de Montreal também integram a seleção do ECRÃ. Entre os destaques também estão o sci-fi experimental Guardiões da Eternidade do grego Aristotelis Maragkos, Lake Forest Park de Kersti Jan Werdal, selecionado para o IDFA e o poético O Amparo do Céu de Diego Acosta, também selecionado para o CPH DOX e o filipino Tug, dirigido por Jon Salazam, destaque do DocLisboa 2021.


Entre as estreias mundiais o ECRÃ apresenta o média-metragem Coisas a Vir de Ken Jacobs, também em 3D; Uma História de uma Nação do português Júlio F.R Costa; Blissed de Maximilian Le Cain; Um Filme Feito em Casa de Andrew Power e o denso Há Muito Tempo Não Tenho Medo de Ficar Cego, dirigido por Yannick Mosiman, filme que narra através da contemplação a perda da visão de seu protagonista. O ECRÃ traz este ano três comédias que usufruem de seus dispositivos para a comicidade: Cinéfilos de Néstor Frankel que usa imagens de arquivo do cinema argentino B para abordar a fixação dos cinéfilos com o ritual de ver filmes; As Fitas de Turismo de Denver de Mike Schwanke, que usa a saturação do VHS para criar um falso guia de turismo como uma comédia de absurdos e Buraco na Cabeça do irlandês Dean Kavanagh que recria os traumas de família através de uma refilmagem experimental.


Já entre os filmes nacionais estão as estreias mundiais de Cantochão dirigido por Vinícius Romero, um dos grandes destaques do cenário experimental nacional; Diários de uma Paisagem de Gabraz Sanna e Anne Santos, uma espécie de continuação de Eu sou o Rio que acompanha o músico Tantão por Berlim, o mockumentary experimental Infinito Ábaco de Bruno Lisboa, o potente manifesto Caixa Preta de Bernardo Oliveira e Saskia e Xiang de Vitória Severo, todo feito com imagens de câmera de segurança e Sinfonia do Fim do Mundo de Isabella Raposo e Thiago Brito, uma espécie de musical em close enquanto o contracampo se explode. Completam a seleção de longas e médias nacionais os filmes Filme Particular de Janaína Nagata, um desktop movie feito a partir de imagens de arquivo exibido no Olhar de Cinema e Extremo Ocidente de João Pedro Faro, exibido na Mostra de Cinema de Tiradentes e que encerrará a etapa presencial do Festival ECRÃ. As sessões destes filmes terão a presença dos realizadores.


Filmes de Curtas-metragem


Entre os curtas brasileiros, o ECRÃ apresenta na abertura Inferno Remix, de Natália Reis, que retorna ao festival pelo terceiro ano seguido, desta vez em duas Categorias. Também retorna ao festival Rodrigo Ribeiro-Andrade com Solmatalua, seu novo filme-ensaio sobre diferentes registros do que pode ser uma cultura afrobrasileira. O faroeste de travessia digital aparece em Há Algo Além do Horizonte, do jovem Marcos Paulo Alcântara, feito a partir de imagens do jogo Red Dead Redemption 2. Espectro Restauración, de Felippe Schultz Mussel, borra as fronteiras entre noise e cinema. No realismo fantástico do calor brasileiro em Curupira e a Máquina do Destino, de Janaina Wagner, e do calor americano em Eternidade em Loop, de Isabella Costa, os espíritos se encontram para falar sobre identidade e saudade. Castelo da Xelita, de Lara Ovídio, apresenta um filme todo a partir do desktop. Em Park Slope, de Felipe André Silva amantes se perdem um(a) do(a) outro(a) e se comunicam por cartas. Feito apenas com fotografias de um catálogo de barcos, vem Yacht Trip, de Paula Mermelstein. Memorial Maracanã, de Darks Miranda e Pedro França, traz o apocalipse para o Rio de Janeiro, na sessão de encerramento do festival presencial.


Vindos dos festivais de Oberhausen, DocLisboa e Roterdã, respectivamente, vêm as novas produções dos americanos Deborah Stratman, com Laika, Kevin Jerome Everson (em parceria com Claudrena N. Harold) com Orgulho, e Jodie Mack, com Terra Devastada #3: Luas, Filhos, nomes essenciais no cinema experimental contemporâneo. O canadense Eu Pensava o Mundo de Você, de Kurt Walker, vem da sua estreia no Festival Internacional de Jeonju com sua crônica da vida do cantor Lewis, enquanto Son Chant, da veterana americana Vivian Ostrovsky, radicada no Rio, também procura pela música da compositora Sonia Atherton para falar de Chantal Akerman.


Em Diário de Luta, de Yan Wai-Win, vemos o trajeto urbano da diretora no seu bairro para pensar um panorama político de Hong Kong. Oceano Análogo, de Luís Macías, e A Ilha de Podesta, de Stephanie Roland, investigam lugares supostamente imaginários. Como parte do projeto “As Cartas que Não Foram e Também São”, idealizado pela curadora do Festival Punto de Vista Garbiñe Ortega em parceria com Matías Piñeiro, a cineasta Diana Toucedo apresenta Prekasno (Muito Tarde), sua carta fílmica para a diretora Danièle Huillet.

Direto do festival de Berlim, Vida Instantânea, do trio Anja Dornieden, Juan González Monroy e Andrew Kim, e VS, de Lydia Nsiah, propõe viagens lisérgicas a lugares desconhecidos. Moune Ô, de Maxime Jean-Baptiste, também vindo da Berlinale, mostra imagens de arquivo de seu pai na première de um filme com raízes colonialistas. Também apresentamos Criando Cenas do Crime, de Hsu Che-Yu - presente em Berlim - e Sycorax, de Matías Piñeiro e Lois Patiño, exibido nos festivais de Cannes, Nova York e Mar del Plata. Já Juana Robles e Charlotte Clermont retornam ao festival com Anastática, um horror em preto-e-branco, e Morte por Fantasia e Espelhos, uma viagem por diversas texturas de imagem. O Crepúsculo de Purkyne, de Helena Gouveia Monteiro, traz a fantasia para objetos mundanos. Mar de Sussurros, de JM Martinez, e Cristais do Tempo, de Abinadi Meza, filmam areias e cristais, e outras paisagens infinitas e ocultas. Por fim, o dinamarquês Jeppe Lange estreia mundialmente Abismo, um filme composto por 10.000 imagens pesquisadas por um algoritmo de inteligência artificial.


Games


A diversidade marca o segundo ano dos jogos no Festival ECRÃ. Em “Ominira” da AfroGames, cuja história é baseada num conto de Iansã e Xangô, acompanhamos as visões de Valéria e a busca por sua ancestralidade. Em “Clóvis - Memórias de Um Carnaval”, do Coletivo de Desenvolvimento de Jogos da UFF, observamos as experiências de um bate-bola perdido no Carnaval num ambiente 3D do Centro do Rio. E “Stand By Me”, de Victor Côrrea, ajudamos Pico, mundo guiado pela física e pelo fantástico. Esta seleção foca em produções de grupos de desenvolvedores nacionais: AfroGames, DJUFF e Garoa Studios.


Instalações e Artes Interativas


Pensando em ocupar ambos os espaços - presencial e online - o ECRÃ selecionou cuidadosamente as Instalações e Artes Interativas desta edição. Devido ainda ao espalhamento e desejo de contenção do COVID, optamos pela difícil escolha de manter as obras em VR (Realidade Virtual), somente no ambiente Online. Apesar de não ter o óculos VR ali para usar, a experiência é apenas diferente e temos orgulho de ter vídeos em 360° desde nossa terceira edição. São eles Cosmos•Átomos de Christopher Boulton; Melting Movie Places de Wilson Oliveira Filho; o espanhol O Milagre de Santo Antônio, de Alfonso Camarero e Jose Luis Ducid; e, por fim, Uku Pacha, de Diego Bonilla, que está de volta com a mesma interatividade usada em Big Data (4° Festival ECRÃ), na qual o espectador escolhe a duração do vídeo e pode ver uma dentre dezenas de versões da obra, editadas de forma automática e de certa forma aleatória, adicionado ainda mais confusão para uma narrativa já complexa.


Ainda no streaming, os brasileiros estão em peso. Mistura de Arte Interativa, Game e Exposição, Marisa Arraes modela e programa em Liturgias Virtuais um ambiente explorável onde se pode mover um avatar enquanto observa diferentes obras de arte. soñé con un ✨golpe de estado✨, mais um nacional, da artista Julia Brasil surge do web scraping, criando uma coletânea de tweets que contém a palavra GOLPE - a partir do dia 16 de julho, vasculhe a sua versão da obra. Pegando o bonde das Redes Sociais, O Próximo Nascer do Sol, de Arthur Gustavo, surgiu para estar no Instagram, e é lá que vamos exibi-lo. Teremos também um bate-papo com o artista na mesma plataforma.


Na etapa presencial, o ECRÃ retoma outra de suas casas - os corredores da Cinemateca do MAM. Com orgulho ocuparemos este espaço depois de dois anos. Em Equivoca-se Quem Pensa Que A Terra Vai Acabar Maria Antonia (pintora por trás do cartaz deste ano) pode ser brusca em suas pinceladas, mas sutil na inserção da Realidade Aumentada na Obra, criando extremos e camadas para se refletir. Kirk Tougas, veterano e fundador da Pacific Cinematheque em Vancouver, Canadá, expõe com estreia mundial a versão de Instalação de o meio é a mensagem e convida ao observador a deixar seu papel passivo - somos todos algoritmos? Por fim, a dupla tela de "Video-Music Jamming" Episode 1: Void do sul-coreano Seyeong Yoon nos transporta para o making of e o “produto final” de um processo que cunha como um “novo gênero de performance visual e musical”.


Performances


Na categoria de performances, num processo de cicatrização, o festival híbrido se mostra forte em conceito. No espaço digital, como vídeo-performances teremos Fronteira, de María Campos, que na quarta edição tinha um filme de curta-metragem na seleção; Fibonacci Me Deixou Hardcore, um frenesi francês do reencontro toma forma de dança e traz elementos do voguing, popping e hip-hop. Também retornando dois anos consecutivos está Shanthal Caba Mojica e sua Loucura Suave, dueto de piano tocado e filmado de maneiras um tanto diferentes. Para fechar as formas em vídeo, Mūtātiōnem de Maile Costa Colbert, Portugal, traz um ensaio sobre a quarentena, tema que ainda vamos encontrar sendo representado. Como forma de alcançar o nosso público fora do espaço geográfico brasileio e ainda mais carioca, além de abraçar o formato de performances virtuais, no espaço online ainda temos o consagrado Lee Campbell, com Par, mais uma de suas ações poéticas utilizando do Zoom e sua ferramenta de tela verde e chroma key para fazer dele mesmo tela. Apesar da distância, sentimos com intimidade os efeitos de um mundo que tanto isola e segrega a comunidade LGBTQIA+. E a chinesa Hu Liwei ilumina em Buscando os cantos de um quarto, brincando com luz e sombra, elementos tão essenciais na fotografia e no cinema.

No presencial teremos os nacionais Ir-se do duo Igor Corrêa e Carlos Laerte, que projetarão sua versão original da obra pré-seguindo um certo tipo de adaptação ao vivo do vídeo; e Lilien, de Livia Massei, uma clássica performance sonora acompanhada de uma projeção, tudo ao estilo da artista.


Fechando a categoria, temos X-VOTIVE da americana Trish Denton, que extrapola os limites estéticos do palco, atração imperdível no ECRÃ e que abrirá a etapa Online; e, de certa forma híbrida, Yersinia da brasileira Samira Marana, que fará uma apresentação presencial no Centro do Rio de Janeiro e online via live de Instagram, tudo ao mesmo tempo.


Videoartes

Optando por colocar toda esta Categoria somente em nosso Streaming, deixamos ela com um espaço a ser explorado e dominado. Não há impeditivos físicos. O tempo parece ser eterno. As possibilidades podem ser experimentadas. Com obras de duração média de 10 minutos, a seleção das 28 Videoartes explora técnicas de criação de imagem em movimento, viaja por diversos países, são realizadas pelas mais diferentes pessoas e estilos e conta com 8 estreias mundiais.


Para além dos números, a categoria abraça novos artistas nacionais e internacionais, com destaque para os estudantes do Liceo Artistico Preziosissimo Sangue Monza e sua Videoarte 14875. E resgata das antigas e recentes edições nomes como Alexandre Alagôa, que volta depois da sua presença no 2° Festival ECRÃ; Ilana Paterman Brasil, que foi destaque da nossa primeira edição online ao ter sua Obra projetada na parede de uma casa na comunidade do Santo Amaro; Leonardo Pirondi, que cada ano explora diferentes lugares de produção; por fim, para falar de alguns nacionais, Natália Reis e Luiz Pretti, junto de Francisco Cesar, criam LAVA. Juntam-se a eles os estrangeiros Greg Penn (pelo terceiro ano consecutivo); Toby Tatum com mais uma de seus vídeos contemplativos; e Eric Souther, que também realizará uma oficina online sobre como criar processos experimentais no TouchDesigner, com o título “Ferramentas filosóficas: Uma introdução ao TouchDesigner e às histórias da Mídia-Arte”.


Programa Mestres do Cinema Brasileiro


Com curadoria de Cavi Borges, o Festival ECRÃ orgulhosamente apresenta o programa Mestres do Cinema Brasileiro que consiste em oito sessões com filmes raros de realizadores emblemáticos do cinema brasileiro como Helena Solberg, Sylvio Lanna, Neville D’Almeida, Helena Ignez, Walter Lima Jr., João Lanari e André Parente, além de uma sessão dedicada às videoartes produzidas pela equipe da Cavideo. As sessões acontecerão na tradicional sala do Estação Net Botafogo.


Programação

Para programação completa do evento visita o site www.festivalecra.com.br


O Festival ECRÃ é um evento sem fins lucrativos e tem sua entrada gratuita. Para ajudar a custeá-lo, acesse: www.festivalecra.com.br/contribua.


O Festival ECRÃ tem apoio do Museu de Artes Modernas do Rio de Janeiro; Grupo Estação; Cavideo; Departamento de Artes & Design PUC-Rio; Abraccine; EDT.; MUBI; JL Ribas; RioVox; e Rafael Yoshi Eventos e Serviços e é apresentado por 5D Magic, 7 a 1 Filmes e Cara Feia.


Contato para imprensa: ecra@festivalecra.com


Confira a seleção completa do Festival ECRÃ


FILMES DE LONGA E MÉDIA-METRAGENS SELECIONADOS

O AMPARO DO CÉU (El Amparo Del Cielo, Chile, 2021, 65 min) de Diego Acosta

ANIMAL MACULA (idem, Canadá, 2021, 85 min) de Sylvain L’Ésperance

BLISSED (idem, Irlanda, 2022, 73 min) de Maximilian Le Cain

BURACO NA CABEÇA (Hole in the Head, Irlanda, 2022, 90 min) de Dean Kavanagh

CANTOCHÃO (idem, Brasil, 2022, 61 min) de Vinicius Romero

CAIXA PRETA (idem, Brasil, 2022, 51 min.) de Bernardo Oliveira e Saskia

CINÉFILOS (Los Visionadores, Argentina, 2021, 51 min) de Néstor Frankel

COISAS A VIR (Things to Come, EUA, 2022, 40 min) de Ken Jacobs – EM 3D

DIÁRIOS DE UMA PAISAGEM (idem, Brasil, 2022, 51 min) de Gabraz Sanna e Anne Santos

DO ABSOLUTO NADA E IMENSO AZUL (Out of the Blue, EUA, 2021, 90 min) de Holly Fisher

OS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA (The United States of America, EUA, 2022, 102 min) de James Benning

EXTREMO OCIDENTE (idem, Brasil, 2022, 70 min) de João Pedro Faro – ENCERRAMENTO ETAPA PRESENCIAL

AS FITAS DE TURISMO DE DENVER (Denver Tourism Tapes, EUA, 2022, 95 min) de Mike Schwanke

FILME PARTICULAR (idem, Brasil, 2022, 90 min) de Janaína Nagata

UM FILME FEITO EM CASA (A Homemade Film, Inglaterra, 2022, 74min) de Andrew Power

GUARDIÕES DA ETERNIDADE (The Timekeepers of Eternity, Grécia, 2021, 61 min) de Aristotelis Maragkos

HÁ MUITO TEMPO NÃO TENHO MEDO DE FICAR CEGO (I Have Not Been Afraid of Going Blind For a Long Time, Suíça, 2022, 134 min) de Yannick Mosiman

UMA HISTÓRIA DE UMA NAÇÃO (idem, Portugal, 2022, 65 min) de Julio F.R Costa

INFINITO ÁBACO (idem, Brasil, 2022, 65 min) de Bruno Lisboa

● INVERNO (Zuma, Rússia, 2021, 91 min) de Vadim Kostrov

KINORAMA (idem, Portugal, 2022, 80 min) de Edgar Pêra

LAGO GATÚN (idem, EUA, 2021, 60 min) de Kevin Jérome Everson

LAKE FOREST PARK (idem, EUA, 2021, 60 min) de Kersti Jan Werdal

UM PEQUENO PACOTE DE AMOR (A Little Love Package, Áustria, 2022, 80 min) de Gastón Solnicki - ABERTURA ETAPA PRESENCIAL

O SONHO E O RÁDIO (Le Rêve et La radio, Canadá, 2022, 135 min) de Ana Tapia Rousiouk e Renaud Després-Laroud

SINFONIA DO FIM DO MUNDO (idem, Brasil, 2022, 70 min) de Isabella Raposo e Thiago Brito

SOL NO ESCURO (Sol in the Dark, França, 2022, 51 min) de Mawena Yehouessi

TUG (Higit, Filipinas, 2022, 70 min) de Jon Salazam

XCXHXEXRXRXIXEXSX (idem, EUA, 84 min) de Ken Jacobs – EM 3D

相 XIÀNG (idem, Brasil, 120 min) de Vitória Severo


FILMES DE CURTA-METRAGEM SELECIONADOS


ABISMO (Abyss, Dinamarca, 2022, 12 min) de Jeppe Lange

ANASTÁTICA (idem, Irlanda, 2021, 34 min) de Juana Robles

CASTELO DA XELITA (idem, Brasil, 2022, 12 min) de Lara Ovídio

O CREPÚSCULO DE PURKYNE (Purkyne’s Dusk, Irlanda, 2021, 9 min.) de Helena Gouveia

CRIANDO CENAS DO CRIME (The Making of Crime Scenes, Taiwan, 2022, 22 min) de Hsu Che-Yu

CRISTAIS DO TEMPO (Time Crystals, EUA, 2021, 6 min) de Abinadi Meza

CURUPIRA E A MÁQUINA DO DESTINO (idem, Brasil, 2022, 25 min) de Janaína Wagner

DIÁRIO DE LUTA (Tuggin’ Diary, Hong Kong, 2021, 16 min) de Yai Wan-Win

ESPECTRO RESTAURACÍON (idem, Brasil, 2022, 7 min) de Felippe Mussel

ETERNIDADE EM LOOP (idem, Brasil, 2021, 12 min) de Isabela Costa

EU PENSAVA O MUNDO DE VOCÊ (I Thought the World of You, Canadá, 2022, 17 min) de Kurt Walker

HÁ ALGO ALÉM DO HORIZONTE (idem, Brasil, 2022, 33 min) de Marcos Paulo Alcântara

A ILHA DE PODESTA (Podesta Island, França/Bélgica/Micronésia, 2021, 23 min.) de Stéphanie Roland

INFERNO REMIX (idem, Brasil, 8 min) de Natália Reis - ABERTURA ETAPA PRESENCIAL

LAIKA (idem, Estados Unidos, 2022, 4min.) de Deborah Stratman

● MAR DE SUSSURROS (Sea of Sights, Estados Unidos, 2022, 6min.) de J.M. Martínez

MEMORIAL MARACANÃ (idem, Brasil, 2022, 2 min.) de Darks Miranda e Pedro França – ENCERRAMENTO ETAPA PRESENCIAL

MORTE POR FANTASIA E ESPELHOS (Death by Fantasies by Mirrors, Canadá, 2022, 14 min.) de Charlotte Clermont

MOUNE Ô (idem, Bélgica/Guiana Francesa, 2022, 17min.) de Maxime Jean-Baptiste

NOTAS PERIFÉRICAS (Notes from the Periphery, Tailândia/Reino Unido, 2021, 14min.) de Tulapop Saenjaroen

OCEANO ANÁLOGO (El Oceano Analogo, Espanha/México, 2022, 9min.) de Luis Macias

ORGULHO (Pride, Estados Unidos, 7min.) de Kevin Jerome Everson e Claudrena N. Harold

PARK SLOPE (idem, Brasil, 2021, 18min.) de Felipe André Silva

PREKASNO (MUITO TARDE) (Prekasno (Too Late), Espanha, 2021, 8min.) de Diana Toucedo

SOLMATALUA (idem, Brasil, 2022, 15min.) de Rodrigo Ribeiro-Andrade

SON CHANT (idem, Estados Unidos, 2020, 12min.) de Vivian Ostrovsky

SYCORAX (idem, Portugal, 2021, 20min.) de Lois Patiño e Matías Piñeiro

TERRA DEVASTADA #3: LUAS, FILHOS (Wasteland #3: Moons, Sons, Estados Unidos, 5min.) de Jodie Mack

VIDA INSTANTÂNEA (Instant Life, Alemanha, 2022, 27min.) de Anja Dornieden, Juan David Gonzalez Monroy, Andrew Kim

VS (idem, Áustria, 2022, 8min.) de Lydia Nsiah

YACHT TRIP (idem, Brasil, 2022, 8 min.) de Paula Mermelstein


GAMES SELECIONADOS


CLÓVIS - MEMÓRIAS DE UM CARNAVAL (Clóvis - Memórias de Um Carnaval) | Desenvolvimento de Jogos - UFF (DJUFF) | Brasil, 2021 | Duração Variável

OMINIRA (Ominira) | AfroGames | Brasil, 2021 | Duração Variável

STAND BY ME (Stand By Me) | Victor Corrêa | Brasil, 2021 | Duração Variável

INSTALAÇÕES E ARTES INTERATIVAS SELECIONADAS

COMOS•ÁTOMOS (Cosmic•Atomic) | Christopher Boulton | Estados Unidos, 2022 | 10 min.

EQUIVOCA_SE_QUEM_PENSA_QUE_A_TERRA_VAI_ACABAR (Equivoca-se Quem Pensa Que A Terra Vai Acabar) | Maria Antonia | Brasil, 2021 | Duração Variável

LITURGIAS VIRTUAIS | Marisa Arraes | Brasil, 2021 | Duração Variável

O MEIO É A MENSAGEM | Kirk Tougas | Canadá, 2021 | Loop de 7 min.

MELTING MOVIE PLACES (Melting movie places) | Wilson Oliveira da Silva Filho | Brasil, 2022 | Duração Variável

O MILAGRE DE SANTO ANTÔNIO | Alfonso Camarero, Jose Luis Ducid | Espanha, 2021 | 3 min.

O PRÓXIMO NASCER DO SOL | Arthur Gustavo | Brasil, 2021 | 3 min.

SOÑÉ CON UN ✨GOLPE DE ESTADO✨ | Julia Brasil | Brasil, 2021 | Duração Variável

UKU PACHA | Diego Bonilla | Equador, Estados Unidos, 2021 | Duração Variável, max 15 min.

“VIDEO-MÚSICA JAMMING” EPISÓDIO 1: VAZIO ("Video-Music Jamming" Episode 1: Void) | Seyeong Yoon | Coreia do Sul, 2021 | 2 vídeos de 16 min.

PERFORMANCES SELECIONADAS

BUSCANDO (Searching) | Hu Liwei | China, 2021 | 12 min.

FIBONACCI ME DEIXOU HARDCORE (FIBONACCI MADE ME HARDCORE) | Marie Meyer, Patric Kuo | França, 2021 | 32 min. – ENCERRAMENTO ETAPA ONLINE

FRONTEIRA (Fronteira) | Maíra Campos | Brasil, 2021 | 16 min.

IR-SE (Ir-se) | Igor Corrêa, Carlos Laerte | Brasil, 2021 | 15 min.

LILIEN (Lilien) | Liv Massei | Brasil, 2021 | 50 min.

LOUCURA SUAVE (A Soft Lunacy) | Shanthal Caba Mojica | Estados Unidos, 2021 | 48 min.

MŪTĀTIŌNEM (Mūtātiōnem) | Maile Costa Colbert | Portugal, 2021 | 10 min.

PAR (PEER) | Lee Campbell | Reino Unido, 2022 | 15 min.

X-VOTIVE (X-VOTIVE) | Trish Denton | Estados Unidos, 2021 | 35 min. - ABERTURA ETAPA ONLINE

YERSINIA (Yersinia) | Samira Marana | Brasil, 2021 | 9 min.

VIDEOARTES

14875 (14875) | Estudantes do Liceo Artistico Preziosissimo Sangue Monza | Itália, 2022 | 10 min.

A.O.K (a.o.k) | Christopher Tym | Reino Unido, 2022 | 15 min.

BOOM (BOOM) | Diane Nerwen | Estados Unidos, 2022 | 6 min.

CANTO (Canto) | Alexandre Alagôa | Portugal, Luxemburgo, 2022 | 12 min.

CATÁLOGO DE SIMULACROS (catálogo de simulacros) | Levy Freitas | Brasil, 2019 | 2 min.

COMO DANÇAR FUNK (Como dançar funk) | Ilana Paterman Brasil | Brasil, 2021 | 2 min.

CONTROLE DE TRÁFEGO (Controle de Tráfego) | Jackson Abacatu | Brasil, 2021 | 8 min.

É HOJE O DIA DA ALEGRIA | Greg Penn | Austrália, 2022 | 4 min.

FEED (FEED) | Michael Etzensperger, Mateo Hurtado | Suíça, 2021 | 12 min.

FRÁGIL (Fragile) | Sasha Waters | Estados Unidos, 2022 | 9 min.

FREQUÊNCIAS DO TEMPO (Frequencies of Deep Time) | Eric Souther | Estados Unidos, 2022 | 7 min.

GILGAMESH (Gilgamesh) | Lucrécia L. | Brasil, 2021 | 3 min.

GRÉCIA PRA QUE TE QUERO (All You Want Is Greece) | Alex Morelli | Grécia, Estados Unidos, 2021 | 4 min.

LABIRINTO (Labirinto) | Filipe dos Santos Barrocas, Isadora Maria Torres, Léo Bortolin, Lucas Eskinazi, Yuji Kodato | Brasil, Portugal, 2022 | 15 min.

L A V A (L A V A) | Francisco Cesar, Natália Reis, Luiz Pretti | Brasil, 2022 | 21 min.

LUGAR NENHUM (Lugar Nenhum) | Pedro Gonçalves Ribeiro | Brasil, Portugal, 2021 | 19 min.

LUZ, CÂMERA, ISTAMBUL (Night, Light, Istanbul) | Can Ege İlhan | Turquia, 2022 | 3 min.

MELANCOLIA (Melancholia) | Michael Amter | Estados Unidos, 2020 | 4 vídeos de 44 seg.

NÓS (Nós) | Diego Ramos | Brasil, 2021 | 5 min.

PEDRA E PLANTA (pedra e planta) | Teodoro Pimenta | Brasil, 2022 | 4 min.

PEQUENA ESTATURA, GRANDES IDEIAS (Si petit mais avec grandes idées dans sa tête) | Pierre Villemin | França, 2022 | 9 min.

A PRIMEIRA MEMÓRIA COM VOCÊ (the first memory with you) | Hsuan-Kuang Hsieh | Taiwan, Estados Unidos, 2022 | 5 min.

À PROCURA DO MONTE ANÁLOGO (In Search of Mount Analogue) | Leonardo Pirondi | Estados Unidos, 2021 | 4 min.

SELIBERATION #2 (Seliberation #2) | Estela Lapponi | Brasil, 2021 | 6 min.

SOMBRA DO VENTO (Shadow Of The Wind) | Pobwarat Maprasob | Tailândia, 2021 | 5 min.

TEORIA DE UNIFICAÇÃO DOS CORPOS (Teoria de Unificação dos Corpos) | Amanda & Isadora | Brasil, 2021 | 3 min.

UM LUGAR NO COSMOS (A Place in the Cosmos) | Gavin Hipkins | Nova Zelândia, 2020 | 10 min.

A VISITAÇÃO (The Visitation) | Toby Tatum | Reino Unido, 2021 | 11 min.


PROGRAMA MESTRES DO CINEMA BRASILEIRO


CAVIDEO

O Cinema é minha Vida | Brasil, 2021 | 60 min


SYLVIO LANNA

1- Forofina | Brasil, 2020 | 13 min. 2- Nova Pasta Antigo Baú | Brasil, 2021 | 18 min. 3- Um Cinema Caligráfico | Brasil, 2019 | 6 min. 4- In Memoriam - O Roteiro Do Gravador | Brasil, 2019 | 20 min. 5- Malandro, Termo Civilizado | Brasil, 2018 | 24 min.


HELENA SOLBERG

1- A Dupla Jornada | Brasil, 1975 | 50 min. 2- Meio-Dia | Brasil, 1970 | 10 min. 3- A Entrevista | Brasil, 1966 | 18 min.


HELENA IGNEZ

Fakir | Brasil, 2019 | 100 min.


WALTER LIMA JR.

Em Cima Da Terra Embaixo Do Céu | Brasil, 1981 | 50 min.


ANDRÉ PARENTE

1- Dona Raimunda | Brasil, 1977-2015 | 7 min. 2- Curto Circuito | Brasil, 1979 | 13 min. 3- Na Arte, Nada Se Perde,nada Se Cria, Tudo Se Transforma | Brasil, 1980 | 18 min. 4- Circuladô | Brasil, 2007 | 4 min. 5- O Vento Sopra Onde Quer | Brasil, 2015 | 11 min.


NEVILLE D'ALMEIDA

1- O Bem-Aventurado | Brasil, 1966 | 14 min. 2- AcquaWater | Brasil, 2004 | 4 min. 3- A água, a mulher e o regador | Brasil, 2005 | 6 min. 4- A Voz do Provocador | Brasil, 2006 | 14 min. 5- O Diário Secreto de Jane Joyce | Brasil, 2007 | 3 min. 6- Obsessão | Brasil, 2022 | 7 min.