top of page

KARAIW A’E WÀ - OS CIVILIZADOS

Karaiw a’e wà - OS CIVILIZADOS

Zahy Tentehar, Candombá

Brasil

2022

Videoarte

Curta-Metragem

Em Karaiw a'e wà, videoarte desenvolvida por Zahy e Candombá, os artistas resgatam a palavra “karaiw”, que significa civilizado, para questionar a construção do indígena “selvagem” e “bárbaro”, imagem enraizada pela colonialidade.

Karaiw a’e wà considera o Futurismo Indígena como uma metodologia para combater a erradicação histórica do conhecimento, das tecnologias e das formas criativas indígenas.

informações gerais

edição

8° Festival ECRÃ

data e

hora

Cinemateca do MAM, Estação NET Botafogo, Streaming do ECRÃ

27-30/06/2024
04-07/07/2024

15h-20h
24h por dia

presença do artista no Festival ECRÃ

duração em min

16

estreia

classificação

indicativa

L / Free for all audiences / Livre Para Todos Os Públicos

trailer

festivais onde passou

tags

tags

Zahy Tentehar, Candombá

Zahy Tentehar, mulher indígena e multiartista.
33anos, é do povo Tentehar-Guajajara, nasceu na Aldeia Colônia, Reserva Indígena Cana Brava no
Maranhão. Aos 9 anos passou a viver entre Cidades e Aldeia. Aos 19 anos em 2010 saiu pela primeira
vez de sua terra para morar no Rio de Janeiro para morar na Ocupação Indígena urbana Aldeia
Maracanã. Em 2013 teve sua primeira experiência como atriz, no curta ‘’ZAHY, uma fábula sobre a
Aldeia Maracanã’’,criado em parceria com Felipe Bragança. Desde então desenvolveu-se como artista,
oradora e criadora de arte performática indígena. Acredita que a arte tem o poder de comunicar e
transformar, por isso se expressa através dela para defender causas indígenas e ambientais. Zahy tem
como sua primeira língua o Ze’eng eté (dialeto do tronco tupi-guarani) e a Portuguesa como sua
segunda língua. Atualmente vem se dedicando também ao inglês.De 2013 a 2020, seus principais
trabalhos como atriz foram na Serie ‘’Dois Irmãos’’, da Tv Globo com direção de Luiz Fernando
Carvalho – 2015 e uma das protagonistas da série Cidade Invisível da Netflix. No cinema, estreou no longa ‘’Não Devore meu coração’’com direção de Felipe
Bragança – 2017. E no teatro, com a companhia Barca dos Corações Partidos, onde atuou no espetáculo ‘’Macunaíma Uma Rapsódia musical’’ com direção de Bia Lessa - 2018-2019 e na montagem de O Guarani com supervisão artística de Ailton Krenak. Apresentou em 2024 o Especial Falas da Terra da TV Globo e está no elenco da novela No Rancho Fundo.
É a Vencedora do Prêmio Shell de Melhor Atriz em 2024 por seu trabalho no solo Azira"i".

mais informações

bottom of page