Voar De Si

VOAR DE SI

Ani Cires

Brasil

2020

Videoarte

Curta-Metragem

O acaso de uma similar e singular condição "deficiente" de um inseto faz com que Ani seja remetida à realidade de seu filho. A partir daí, uma relação de empatia e cuidado se estabelece, desencadeando questionamentos que vão muito além da doce e adorável (ou repugnante) imagem que uma borboleta pode representar. Quanto tempo poderia viver na natureza uma borboleta que não voa? E se recebesse cuidados humanos? Com essas perguntas em mente, somada ao instinto de cuidar, inicia-se um registro que só acabaria com a finitude dessa vida. Durante surpreendentes quatro dias, identificações e afetos foram criados aprofundando os questionamentos. O cuidado humanizado perpetua o sofrimento ou traz dignidade a uma vida vulnerável?

"Meditar sobre a morte é meditar sobre a liberdade." (Michel de Montaigne, Ensaios, XX: Filosofar é aprender a morrer)

informações gerais

edição

5° Festival ECRÃ

venues

Online

data e hora

duração em min

4

premiere

Première Mundial 5° Festival ECRÃ

classificação indicativa

L / Free for all audiences / Livre Para Todos Os Públicos

trailer/teaser/trecho

conversa/bate-papo

tags

arte, autobiográfico, colorido, documentário, espiritual

Ani Cires

Nascida numa família de artistas, acredita e se utiliza da arte como meio de ressignificação e respiro. Na trilha por seu caminho artístico, conciliado com a experiência da maternidade, estudou Desenho Artístico, Ilustração, Ilustração Digital, Rapports e Estamparia. Como empreendedora, desenvolveu uma linha de bonecas bordadas a mão. Em 2016 decide se aventurar no universo do cinema e estreia seu primeiro filme como diretora, o curta-metragem documentário "O Lucas Chamou o Mar" (2018), contemplado pelo Edital de Curtas SpCine 2017; seleção oficial Media Library do Festival VISION DU RÉEL 2019; Festival de Cinema de Triunfo 2019; Cine Esquema Novo 2019, 13º Curta Taquary 2020 (prêmio Melhor Direção); Entretodos Festival de Direitos Humanos 2020.

mais informações